INCC e o dissídio

14 de julho de 2015 |Nenhum Comentário

O INCC – Índice Nacional de Custo da Construção – é o indicador que reajusta mensalmente as parcelas dos financiamentos de imóveis adquiridos na planta. “Como diz o seu nome, acompanha a evolução dos custos na construção civil em sete capitais: Brasília (DF), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) Salvador (BA) e São Paulo (SP)”, explica Ana Castelo, consultora da FGV (Fundação Getulio Vargas) responsável pela medição. “Engloba os preços de mão de obra, material, equipamentos e serviços.”

Os salários pagos aos trabalhadores têm o maior peso no levantamento, e é por isso que, entre maio e junho, todos os anos, o índice apresenta um pico: essa é a época do dissídio em São Paulo. Essas porcentagens são aplicadas aos financiamentos imobiliários com dois meses de atraso. Por exemplo, o índice de abril recai sobre a parcela de junho, o de maio, sobre o de julho, e assim por diante.

Veja o histórico do índice nos últimos 12 meses:

INCC

Então, o mutuário que precisa pagar parcelas maiores –as chamadas intermediárias: trimestrais, semestrais ou anuais– a partir de julho pode fazer uma economia considerável se adiantar sempre a quitação para maio ou junho, fugindo, dessa maneira, do auge do INCC ao menos nessas prestações mais pesadas. “Aí está é o pulo do gato”, diz Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, o sindicato das empresas paulistas do setor imobiliário. Frisando: se precisar escolher, é melhor o mutuário antecipar parcelas intermediárias sempre no primeiro semestre.

Fonte: http://seudinheiro.ig.com.br

Categorias: Índices Financeiros