INCC e o dissídio

14 de julho de 2015 |Nenhum Comentário

O INCC – Índice Nacional de Custo da Construção – é o indicador que reajusta mensalmente as parcelas dos financiamentos de imóveis adquiridos na planta. “Como diz o seu nome, acompanha a evolução dos custos na construção civil em sete capitais: Brasília (DF), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) Salvador (BA) e São Paulo (SP)”, explica Ana Castelo, consultora da FGV (Fundação Getulio Vargas) responsável pela medição. “Engloba os preços de mão de obra, material, equipamentos e serviços.”

Os salários pagos aos trabalhadores têm o maior peso no levantamento, e é por isso que, entre maio e junho, todos os anos, o índice apresenta um pico: essa é a época do dissídio em São Paulo. Essas porcentagens são aplicadas aos financiamentos imobiliários com dois meses de atraso. Por exemplo, o índice de abril recai sobre a parcela de junho, o de maio, sobre o de julho, e assim por diante.

Veja o histórico do índice nos últimos 12 meses:

INCC

Então, o mutuário que precisa pagar parcelas maiores –as chamadas intermediárias: trimestrais, semestrais ou anuais– a partir de julho pode fazer uma economia considerável se adiantar sempre a quitação para maio ou junho, fugindo, dessa maneira, do auge do INCC ao menos nessas prestações mais pesadas. “Aí está é o pulo do gato”, diz Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, o sindicato das empresas paulistas do setor imobiliário. Frisando: se precisar escolher, é melhor o mutuário antecipar parcelas intermediárias sempre no primeiro semestre.

Fonte: http://seudinheiro.ig.com.br

Categorias: Índices Financeiros

Imposto de Renda – Como declarar seu imóvel

|Nenhum Comentário

A temporada de entrega do Imposto de Renda começará em 2 de março neste ano e se estenderá até 30 de abril, segundo a Receita Federal.

Algumas dicas de como declarar o imóvel sem ter dor de cabeça. Confira:

Como declarar o imóvel adquirido no Imposto de Renda 2014?

Todas as aquisições de imóveis em 2014 devem constar na declaração, inclusive os adquiridos por meio de “Contrato de Promessa de Compra e Venda – quando este foi comprado na planta e, portanto, não está ainda registrado.

O valor a ser declarado para o imóvel é o mesmo valor do contrato.

Na “Declaração de Bens e Direitos”, o mutuário deve incluir todos os detalhes sobre a propriedade, como endereço, metragem, número da matrícula e o Cartório de Registro de Imóveis (se houver), nome do vendedor com o CPF ou CNPJ entre outros e informar apenas o valor pago no ano vigente. Mas se o bem foi adquirido nos anos anteriores, basta importar a declaração antiga.

Também não se deve esquecer de informar o quanto pagou, no ano de 2014, de parcelas e prestações na compra do imóvel financiado e indicar o(s) credor(es) com o CNPJ e o saldo devedor. São informações valiosas para demonstrar que o imóvel não foi comprado à vista o que geraria no aparecimento de rendimento bem maior.

A Construtora Xavel envia à seus clientes o Informe para o imposto de renda, com os valores pagos no ano, afim de ajudar na declaração.

Leao

Maiores informações sobre o IR 2014-15 no site da Receita

http://idg.receita.fazenda.gov.br/noticias/ascom/2015/fevereiro/programa-do-imposto-de-renda-pir-2014

 

Fonte revista.zap.com.br

Categorias: Índices Financeiros, Xavel